ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PIROTECNIA
Faça Login ou Cadastre-se

 

 
Previsão do Tempo

FORMA SEGURA DE SOLTAR FOGOS INDOOR

Laboratório em Santo Antônio do Monte (MG) é referência no setor. Técnicos mostraram as diferenças da utilização em áreas internas e externas.

 


O município de Santo Antônio do Monte, localizado na região Centro-Oeste, é considerado polo do setor pirotécnico e, depois da tragédia ocorrida em Santa Maria (RS), vários testes foram realizados no Centro Tecnológico em Pirotecnia, com o objetivo de mostrar a forma segura de se utilizar cada produto.

O Centro Tecnológico em Pirotecnia de Santo Antônio do Monte é referência em teste de fogos de artifício. Para serem aprovados, os fogos passam por rigorosas avaliações. Em seis anos já foram testados mais de 2.500 itens nos laboratórios, sendo que quase 60% foram aprovados. “Cerca de 70 avaliações são feitas em cada um dos produtos e não pode ter uma reprovação. Se tiver é preciso ser avaliado novamente. E ainda seguimos todas as normas do Exército”, explicou o supervisor técnico do Centro, Rodrigo Souza Tomaz.

A segurança do modelo de fogo de artifício que é suspeito de ter sido a causa do incêndio na boate no Sul do país foi testado no Centro nesta segunda-feira (4). O produto tem várias versões desenvolvidas para as áreas internas e externas. O teste feito em Santo Antônio do Monte foi com o mesmo tipo de espuma que fazia o isolamento acústico da casa de show.

Segundo os responsáveis pelos testes no Centro, numa área externa é preciso que diversas recomendações sejam respeitadas, tais como: manter pelo menos 50 metros de distância das pessoas e não soltá-lo em locais fechados, cobertos ou próximo de produtos inflamáveis.

No teste feito em área externa nada ocorreu com a espuma. E o mesmo teste foi feito com o produto no ambiente fechado, ou seja, no local em que o modelo não deve ser usado. Após o teste feito no Centro, em segundos a espuma foi destruída pelo fogo

Em seguida o teste foi feito com um fogo de artifício destinado para ambientes internos e nada aconteceu porque as fagulhas não geraram fogo, portanto não queimam. “Vimos nestes testes do Centro que é importante que a população saiba diferenciar os vários fogos de artifício e onde eles podem ser usados. Nós podemos observar na apresentação que tem os fogos na área interna e na externa, que têm grande diferença e que podem influenciar para todos que estão ao redor”, ressaltou o capitão da Polícia Militar, Renato Felix Frederici.

Reportagem do site g1.globo.com - 04/02/2013 20h31 - Atualizado em 04/02/2013 20h35

http://g1.globo.com/minas-gerais/triangulo-mineiro/noticia/2013/02/centro-tecnologico-em-pirotecnia-mostra-forma-segura-de-usar-fogos.html

 

 














Fone: (11) 3151.2017

2012 © - Todos os Direitos Reservados


Criação e Divulgação: Artware